MENOPAUSA

AS ONDAS DE CALOR
 
As ondas de calor afetam a maioria das mulheres em algum ponto da vida. Elas são o sintoma mais comum associado com a menopausa (a transição entre o estágio reprodutivo da vida, que ocorre ao redor dos 51 anos de idade), e alguns estudos mostram que até 80% das mulheres dos países do ocidente apresentam esse sintoma.
No entanto, as mulheres em menopausa não são as únicas a ter ondas de calor (também chamadas fogachos): entre 55% e 65% das sobreviventes de câncer de mama também apresentam esse sintoma, que nestas mulheres pode ser mais intenso que naquelas em menopausa natural. No câncer de mama, as ondas de calor podem estar relacionadas aos efeitos da quimioterapia sobre os ovários, podem ser um efeito colateral do uso de agentes hormonais ou resultado de menopausa precoce e abrupta causada por cirurgia de remoção dos órgãos reprodutivos. Aos 50 anos, uma em cada 50 mulheres apresenta câncer de mama, aos 80 anos, a proporção é de uma em cada 10 mulheres. Isso é também importante porque muitas mulheres acreditam que o risco de ter um câncer de mama é muito grande: numerosas pesquisas mostram que para as mulheres essa doença é o risco à saúde número 1, o que a coloca na frente do real maior causador de mortes, que são as doenças do coração.
 
COMO SÃO AS ONDAS DE CALOR?
 
As ondas de calor aparecem repentinamente. Começam com um sentimento inesperado de calor ou ardor, espalhando-se da cabeça aos pés. A maioria das ondas de calor afeta o couro cabeludo, a face e o pescoço, mas elas também podem ser sentidas no resto do corpo. Juntamente com a sensação de calor, você pode começar a transpirar, seu rosto ficar ruborizado (vermelho) e o seu coração disparar. Algumas mulheres sentem-se ansiosas, em pânico ou com tonturas durante o sintoma. Na maioria das vezes, às sensações de calor e transpiração podem seguir-se sensações de frio. Esses eventos normalmente duram poucos minutos. Podem ocorrer freqüentemente – a cada hora – e com diferentes intensidades. Também podem interromper o sono – muitas mulheres em menopausa relatam acordar à noite subitamente encharcadas de suor (tal tipo de onda de calor é chamado transpiração noturna. Normalmente, a maioria das mulheres começa a ter ondas de calor por volta de 2 anos depois da interrupção dos ciclos menstruais, isto é, 2 anos após a última menstruação. A freqüência de tais episódios diminui gradativamente, embora eles possam continuar por meses ou até anos. Por outro lado, mulheres que estão recebendo tamoxifeno para o câncer de mama podem sofrer aumento da freqüência e da intensidade das ondas de calor durante os primeiros 2 ou 3 meses de tratamento. Após esse período, os sintomas se estabilizam e tendem a decrescer.
 
POR QUE OCORREM AS ONDAS DE CALOR?
 
Não se sabe exatamente por que as ondas de calor acontecem. Há consenso de que elas estão relacionadas com problemas encontrados pelo organismo para regular a sua temperatura. A razão disso seria a redução dos níveis do hormônio feminino estrógeno (a produção de estrógeno é reduzida com a menopausa e durante o tratamento para o câncer de mama) ou a atividade de outras substâncias químicas. Acredita-se que pequenos aumentos de temperatura “enganam” o cérebro, que entende que o corpo está ficando muito quente, e assim, dispara o seu mecanismo de resfriamento (sistema de termorregulação), o que resulta em ondas de calor com conseqüente transpiração e tremores.
 
TRATAMENTO E MEDICAÇÕES
 
No passado, dizia-se às mulheres que ignorassem as ondas de calor, como se estas fossem apenas um produto de sua imaginação. Muitas gerações de mulheres devem ter sofrido silenciosamente com esses sintomas, sendo ensinadas a não falar sobre eles – ou sobre quaisquer assuntos relacionados a reprodução ou funções corporais.
Hoje, entretanto, nós sabemos que as ondas de calor existem – e que afetam muitas mulheres. Pergunte ao seu médico se algum dos medicamentos que você está tomando pode causar tais sintomas. Em caso positivo, alterar a medicação por ser uma saída adequada. Em caso negativo, os tratamentos atuais contra ondas de calor são muito melhores do que costumavam ser no passado.
Veja a seguir uma breve discussão sobre as terapias mais eficazes:
 
Estrógeno
 
Prós:Este hormônio é o melhor tratamento contra ondas de calor e pode reduzir a intensidade e a freqüência desses sintomas em 70% a 90%. A terapia de reposição de estrógeno (TER) também ajuda a diminuir os riscos de osteoporose (enfraquecimento dos ossos) e previne o estreitamento e o ressecamento da vagina.
 
Contras: Se uma mulher que tem útero utiliza estrógeno sem o uso concomitante de progesterona (outro hormônio feminino), ela terá risco aumentado de desenvolver câncer na parede uterina (endométrio). Além disso, pode elevar o risco de ocorrência de câncer de mama. O estrógeno não pode ser usado por mulheres com câncer de mama ou de útero, porque pode piorar o quadro da paciente. A TER pode também causar efeitos colaterais, como desconforto gástrico, sensibilidade nas mamas, dor de cabeça, alterações de tumor, inchaço e aumento de risco de formação de coágulos sanguíneos.
 
Progesterona
 
Prós: este hormônio feminino é normalmente ministrado em mulheres com útero, que estão tomando TER para prevenção de câncer de útero. Mas a progesterona também pode ser ministrada isoladamente. Das duas formas. Ajudará a evitar as ondas de calor. A sua utilização reduz a incidên cia desses episódios em 85%.
 
Contras: Não está totalmente claro se para mulheres com câncer de mama é seguro receber progesterona no tratamento das ondas de calor. Estudos estão sendo conduzidos para determinar se o hormônio estimularia o desenvolvimento ou a recorrência de câncer. O uso da progesterona pode também provocar o reinício dos ciclos menstruais, o que muitas mulheres não gostariam que acontecesse, além de causar sensibilidade nas mamas, alterações de humor e desconforto gástrico.
 
Andrógenos
 
Prós: As mulheres usualmente produzem este hormônio sexual masculino, também chamado testosterona, em pequenas quantidades. Na menopausa, sua produção decresce. Estudos sugerem que, em combinação com o estrógeno o andrógeno pode reduzir a freqüência de ondas de calor. Também foi observado benefício sobre a função e o desejo sexual.
 
Contras: O andrógeno pode ter inúmeros efeitos colaterais não esperados: causar acne, crescimento de cabelo no rosto, alteração do timbre da voz, além de alterar os níveis de colesterol de maneira indesejada. Entretanto, quando usado em conjunto com o estrógeno, o andrógeno apresenta menos chance de causar tais efeitos colaterais.
 
Clonidina
 
Prós: Esta droga, que foi aprovada para a redução da hipertensão arterial, está sendo estudada nos últimos 20 anos como forma de tratamento das ondas de calor. Reduz a ocorrência desses sintomas em 37% a 46%. A vantagem primária da clonidina é que não é um tratamento hormonal, de forma que as mulheres não podem receber hormônios – incluindo as sobreviventes de câncer de mama – têm na clonidina uma opção.
 
Contras: A clonidina produz inúmeros efeitos colaterais. Ela pode causar boca seca, constipação e sonolência.
TERAPIAS ALTERNATIVAS
 
Pelo fato de algumas mulheres não poderem ou não desejarem tomar medicamentos hormonais, como estrógeno e progesterona, para tratamento das ondas de calor, inúmeras terapias alternativas estão sendo disponibilizadas. A maioria delas não foi ainda completamente testada não parecendo funcionar tão bem como a TER ou outras drogas. Se você decidir tentar qualquer um desses produtos, converse antes com seu médico para ter certeza de que não haverá interação com outros medicamentos ou com os tratamentos para câncer de mama.
 
Soja- Atribuem-se à proteína presente nesta planta efeitos semelhantes aos do estrógeno, e um estudo recente indicou que ela reduz a ocorrência de ondas de calor em 45%. Os produtos derivados da soja podem ter efeitos positivos para a saúde da mulher. Para o tratamento das ondas de calor, os efeitos ocorrem quando esses produtos são consumidos por até 2 anos. Entretanto, o Código Americano de Ginecologia e Obstetrícia afirma que, em função da possibilidade de interação com os receptores do estrógeno, a soja pode não ser segura para mulheres com câncer de mama estrógeno-dependente.
 
Vitamina E- Embora tenha sido alardeado que esta vitamina é um remédio para as ondas de calor, um estudo comparando-a com placebo mostrou que ela não melhora de maneira significativa esses sintomas em mulheres com câncer de mama.
 
Erva de São Cristóvão (Black cohosh)- Esta erva é um remédio tradicionalmente usado pelos índios americanos e europeus no tratamento de sintomas da menopausa. Estudos limitados sugerem que é segura e eficaz no tratamento das ondas de calor, embora não seja tão eficiente quando o paciente está recebendo tamoxifeno.
 
REDUZINDO O CALOR
 
Além dos tratamentos com medicamentos – ou até mesmo, em substituição a eles, tente as seguintes estratégias para lidar naturalmente com as ondas de calor:
· Use roupas largas, de forma que sua pele consiga “respirar”. Também use várias camadas de roupa, de forma que você possa tirar algumas peças durante um episódio de onda de calor.
· Use tecidos que sejam 100% de algodão. Eles absorvem a perspiração e secam rapidamente.
· Evite alimentos e bebidas como café ou chá, comidas condimentadas e álcool. Eles podem desencadear um episódio de onda de calor.
· Molhe o rosto com água gelada, tome uma ducha de água fria ou ainda uma bebida gelada quando você tiver um episódio de onda de calor.
· Evite o stress, que pode intensificar os efeitos das ondas de calor. Medite, respire profundamente ou faça exercícios de visualização quando ele ocorrer.
· Exercite-se diariamente. Isso deve ajudá-la a reduzir as ondas de calor.
 
FALE COM SEU MÉDICO SOBRE AS ONDAS DE CALOR
 
Se você está tendo episódios de ondas de calor, marque uma consulta com seu médico para conversar sobre sintomas, possíveis tratamentos e terapias alternativas. É importante que você exponha suas opiniões e não sofra em silêncio.
Algumas vezes, entretanto, você não pode se sentir confortável com seu médico quando fala dos episódios de ondas de calor. É por essa razão que você deve garantir que todas as suas perguntas sejam feitas a ele, e que todas as respostas necessárias sejam obtidas. Esta é a única maneira de conseguir alívio para o problema. Assim, se você não conseguir respostas a todas as suas perguntas, tente o seguinte: Repita suas lista de preocupações e sintomas e suas questões. Assegure-se de que seu médico entende os problemas causados pelas ondas de calor, de que ele não acha que você está querendo apenas aprender a conviver com o problema.
Se o médico ainda não responder satisfatoriamente à suas perguntas, peça-lhe para indicar alguém que possa dar a você uma orientação.
 
PREPARE-SE PARA A CONSULTA
 
Antes de visitar seu médico, é uma boa idéia que escreva em um papel tudo o que você gostaria de conversar com ele. Tomar nota de tais informações a ajudará a lembrar o que você quer perguntar, especialmente se você costuma ficar nervosa no consultório médico. Por exemplo, você pode anotar os seus sintomas, quando eles começaram, quanto tempo duram e em quais períodos do dia são mais intensos. Também escreva tudo o que você faz ou usa para aliviar os sintomas: suprimentos ou ervas que toma e outras coisas que faz (como descansar ou beber algo gelado). Não deixe de falar ao seu médico de como os episódios de ondas de calor afetam sua vida – por exemplo, se fazem com que você acorde à noite ou com que evite ir a festas ou eventos sociais.
Veja a seguir algumas perguntas que você pode fazer ao seu médico:
· O que acontecerá ser eu não tratar os eventos de ondas de calor?
· O que posso fazer quando sinto ondas de calor?
· Existe alguma dieta ou programa de exercícios especiais que eu possa tentar para aliviar os efeitos das ondas de calor?
· Por quanto tempo durarão tais efeitos?
· Alguma mudança na medicação pode ajudar?
· Que tipos de medicação eu poderia tomar para aliviar as ondas de calor?
· Por quanto tempo eu deverei tomar a medicação para ondas de calor?
· A medicação que você me indicará pode afetas outras condições médicas que eu tenho?
· A medicação pode ter efeitos colaterais sobre os quais eu deveria saber? Ela poderá interagir com outros medicamentos que eu esteja tomando?
· Existem remédios alternativos que eu possa tentar para ondas de calor?
· Quando eu deveria voltar para uma consulta de acompanhamento?
Lembre-se de que, apesar de as ondas de calor serem um fato na vida de muitas mulheres, eles não podem tornar penosa a sua vida, nem mesmo temporariamente. Seu médico pode ajudá-la a encontrar remédios para enfrentar essa situação. Tudo o que você tem a fazer é pedir isso a ele.
 
Oncoguia 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: