MUSICOTERAPIA APOIA TRATAMENTO

Entrevista com a musicoterapeuta Noemi Lang, da Unaerp
 
A musicoterapia constitui uma linha de tratamento que se utiliza de música e sons com o objetivo de desenvolver a potencialidade, liberar a criatividade e conseguir a desinibição do paciente no contato consigo mesmo e com o outro. Essa técnica terapêutica permite a interação auto-reflexiva do paciente e sua integração com o mundo, num processo de socialização que lhe propicia bem-estar, informa Noemi Lang, coordenadora de graduação e pós-graduação do curso de musicoterapia da Universidade e Associação de Ensino Ribeirão Preto (Unaerp).
A musicoterapia tem várias áreas de atuação: na reabilitação física, no tratamento de problemas emocionais, na criatividade. Na reabilitação física, é possível desenvolver alguns trabalhos por meio da execução de instrumentos musicais que auxiliem na recuperação de habilidades motoras.
O tratamento de problemas emocionais tem o objetivo final de proporcionar bem-estar. Nessa área, a técnica tem seu trabalho bastante calcado no resgate do emocional, por meio das vivências musicais do paciente, seja reescrevendo cantigas que fazem parte de sua história, seja com simples audição dessas canções ou, ainda, com recreação musical, improvisação, composição ou com a execução de algum instrumento.
Noemi explica que, em geral, o tratamento começa com uma entrevista feita pelo musicoterapeuta semelhante a uma anamnese utilizada na psicoterapia, em que se levantam os principais dados e informações sobre a história do paciente. Na musicoterapia, essa entrevista é complementada com questionamentos relativos à música: de que a pessoa gosta, que composições lhe trazem lembranças, se executa algum instrumento. Esses dados nortearão o trabalho do especialista e a escolha das técnicas que utilizará.
A musicoterapia pode ser aplicada individualmente ou em grupo e em geral é suficiente uma sessão semanal. Casos graves de depressão ou autismo podem requerer de duas a três sessões semanais. A técnica é especialmente indicada para pessoas que têm dificuldade de comunicação verbal por questões emocionais ou físicas.
Para Noemi, a musicoterapia é bastante indicada para portadores de doenças crônicas ou de doenças que requeiram tratamento de longo prazo. "Na medida em que produz bem-estar e relaxamento, a musicoterapia cria condições que facilitam a adesão do paciente ao tratamento", acredita a especialista.
 
Publicado em 27/12/2007

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: