CUIDADOS ESPECIAIS

Dor: é um sintoma de alerta e o médico deve sempre ser informado da forma mais precisa possível. Pois tanto pode ser causada pelo tumor, como pelo tratamento, ou ser devido à outra causa não relacionada. Forma de início, tipo, intensidade, duração, localização, fatores de alívio ou de agravo, são características que auxiliam o seu médico a identificar a origem da dor e tratá-la da forma mais adequada. Convém lembrar que a dor é um fenômeno subjetivo, cada indivíduo sente a dor de forma diferente e por isso o tratamento sempre é individualizado. É direito do paciente e dever do profissional de saúde o tratamento adequado da dor.

Falta de ar: tem várias causas: ansiedade, lesões pulmonares, derrame pleural, doença cardíaca, edema agudo, trombo-embolismo, infecções graves, lesões nos nervos que controlam a musculatura respiratória, compressão dos pulmões por massas abdominais, limitação da respiração por comprometimento da parede torácica, ou doenças respiratórias pré-existentes (asma, bronquite, enfisema).

Febre: sempre é um sinal de alarme. Na grande maioria das vezes significa que existe uma infecção. Contudo, lesões no sistema nervoso central podem causar uma febre, que não cede com o uso de medicações antitérmicas. Alguns tipos de tumores também podem por si sós, serem causa de febre. Toda febre deve sempre ser medida e o médico sempre informado.

Hemorragia: pode ser discreta, leve, moderada, ou severa. Dependendo da intensidade, da causa e da parte do corpo em que ocorre, pode ou não ser tomada alguma atitude que pare o sangramento. É aconselhável que a paciente que estiver em quimioterapia não se submeta a procedimentos que tem potencial de hemorragia, ou se necessário for, que sejam tomadas precauções.

Incontinência urinária: pode ser um sinal de infecção urinária ou de perda no controle do esfíncter (músculo que abre e fecha a uretra). A perda de controle pode ser causada por algumas medicações ou por lesão nos nervos que controlam o esfíncter.

Infecções: atrasam o tratamento anti-tumoral, pois não podem ser feitas quimioterapias em uma paciente com infecção. Pacientes em quimioterapia devem evitar contato com pessoas portadoras de alguma infecção.

Visão: problemas de visão podem ser um alerta sobre possíveis alterações no sistema nervoso central, embora às vezes a causa possa ser outra.

Dr. Felisberto Andreas Bub

Médico Oncologista

Fonte: http://www.mamainfo.org.br

Comentários desativados.

%d blogueiros gostam disto: