MEDO DA REINCIDÊNCIA

Até completarmos os 5 anos para que sejamos diagnosticadas curadas, temos que aprender a conviver com o pavor e o medo da reincidência, pois mesmo tendo sido operadas e feito os tratamentos indicados, o câncer pode voltar. Seja na mesma mama caso não tenha sido completamente retirada ou na outra mama.

A ansiedade e o temor pela espera dos resultados no período dos exames de controle são completamente esperados e compreensíveis. Até porque, a cada resultado negativo, é uma vitória.

Quem já viveu esse drama sabe que mesmo após os 5 anos, a cabeça ainda pensa que um dia seu corpo possa traí-la novamente com um diagnóstico positivo.

Podemos dizer que o câncer de mama e todo o processo que envolve o seu tratamento representam um trauma psicológico para a maioria das mulheres, pois nos vemos de uma hora para outra, obrigadas a conviver com a perda da vida que julgávamos ser normal.

Convivemos com as alterações corporais, as limitações e nos vemos obrigadas a replanejar metas, sonhos e projetos.

O que não podemos nos esquecer nunca é que uma postura positiva só nos traz coisas boas, que apesar de tudo isso estamos VIVAS e o ser humano tem uma capacidade incrível de se adaptar a novas situações.

Não podemos descartar que todos esses medos, anseios e novas rotinas muitas vezes nos evidenciam a importância de termos um apoio psicológico para lidarmos e aceitarmos melhor a condição que nos encontramos agora. Seja com um psicólogo particular que determinará que tipo de combinação de diversas técnicas e estratégias serão utilizadas na condução das sessões ou seja buscando  grupos de apoio com outras pessoas que se passaram pelo problema e se identificarão com as dúvidas e questionamentos do paciente.

Até completarmos os 5 anos para que sejamos diagnosticadas curadas, temos que aprender a conviver com o pavor e o medo da reincidência, pois mesmo tendo sido operadas e feito os tratamentos indicados, o câncer pode voltar. Seja na mesma mama caso não tenha sido completamente retirada ou na outra mama.

A ansiedade e o temor pela espera dos resultados no período dos exames de controle são completamente esperados e compreensíveis. Até porque, a cada resultado negativo, é uma vitória.

Quem já viveu esse drama sabe que mesmo após os 5 anos, a cabeça ainda pensa que um dia seu corpo possa traí-la novamente com um diagnóstico positivo.

Podemos dizer que o câncer de mama e todo o processo que envolve o seu tratamento representam um trauma psicológico para a maioria das mulheres, pois nos vemos de uma hora para outra, obrigadas a conviver com a perda da vida que julgávamos ser normal.

Convivemos com as alterações corporais, as limitações e nos vemos obrigadas a replanejar metas, sonhos e projetos.

O que não podemos nos esquecer nunca é que uma postura positiva só nos traz coisas boas, que apesar de tudo isso estamos VIVAS e o ser humano tem uma capacidade incrível de se adaptar a novas situações.

Não podemos descartar que todos esses medos, anseios e novas rotinas muitas vezes nos evidenciam a importância de termos um apoio psicológico para lidarmos e aceitarmos melhor a condição que nos encontramos agora. Seja com um psicólogo particular que determinará que tipo de combinação de diversas técnicas e estratégias serão utilizadas na condução das sessões ou seja buscando  grupos de apoio com outras pessoas que se passaram pelo problema e se identificarão com as dúvidas e questionamentos do paciente.

Fonte: http://www.fundacaolacorosa.com

 

Comentários desativados.

%d blogueiros gostam disto: