CÂNCER DE MAMA – EUA MUDAM TEMPO CERTO PARA DIAGNÓSTICO

Fatores como pertencer ou não a um grupo de risco e a frequência necessária para refazer exames fazem parte das mudanças na recomendação de rastreamento do câncer de mama, que, há sete anos obedecia a um ritmo estabelecido nos EUA.

O que muda?

• Dos 50 aos 74 anos os testes devem ser realizados a cada dois anos, e não anualmente;
• Mulheres que não pertencem aos grupos de risco devem começar a fazer mamografia aos 50 anos de idade e não mais aos 40;

O objetivo das mudanças é evitar que exames desnecessários sejam feitos em excesso bem como evitar também os falsos diagnósticos positivos. Por aqui especialistas como Ricardo Chagas, que é presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia afirmam que há muitas divergências sobre o assunto.

Segundo a mastologista Maira Caleffi, presidente da Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama, “não existe nada melhor, por enquanto, do que fazer o diagnóstico precoce. Há problemas com exames em larga escala? Há. Mas nem por isso tem que deixar de fazer ou adiar a mamografia”.

Fique atenta aos sinais

Fonte: Blog da Saúde                          Clique na foto para aumentar

Comentários desativados.

%d blogueiros gostam disto: